Orientação para coleta, acondicionamento e transporte de amostras

a. Condições da embalagem e da amostra

 

As embalagens para armazenamento das amostras para ensaio deverão ser preferencialmente de material adequado ao tipo de produto a ser armazenado e com volume suficiente para realizar todos os ensaios laboratoriais requeridos, conforme informações da Tabela 01 e 02;

Também devem possuir uma tampa que vede o recipiente completamente, impedindo vazamentos ou a entrada de ar;

Devem estar limpas, secas e livres de qualquer tipo de contaminante químico ou físico, bem como odores indesejáveis que possam alterar as características originais do produto;

Amostras de suco integral não envasadas e aquelas em fermentação precisam estar refrigeradas, para estarem o mais próximo das condições iniciais. A refrigeração evita o progresso da fermentação na amostra e mantém nas condições que o cliente necessita analisar.

Para o caso de amostras em fermentação não fechar completamente a tampa da embalagem, para que o gás carbônico não fique retido dentro da embalagem e crie estufamento.

TABELA 1

TIPO DE PRODUTO EMBALAGEM
Produto em fermentação Embalagem plástica PET ou de vidro
Produto tranquilo (estável)

 

TABELA 2

ENSAIOS LABORATORIAIS EMBALAGEM (VOLUME MÍNIMO ML)
Testes de clarificação 1500
Análises básicas, completas e demais 500 a 1500

 

OBS.: Garrafas pet de refrigerante não podem ser utilizadas para armazenar amostras.

 

b. A coleta da amostra

 

A amostra não deverá entrar em contato com o coletador, sua roupa ou qualquer objeto por ele utilizado; Manter o frasco fechado até o momento da coleta e após aberto, manter a tampa voltada para cima em uma superfície segura. Evitar que a tampa entre em contato com qualquer objeto;

Verificar se há alguma sujidade no ponto de coleta e se necessário passar álcool 70% na parte externa; Abrir o fluxo do ponto de coleta da amostra e deixar escoar a amostra por aproximadamente 30 segundos antes de realizar a coleta;

Colocar um pouco da amostra para ambientação no frasco e descarta-la;

Após ambientação encher o frasco até o volume máximo, não permitindo espaço vazio com ar no interior do frasco;

Coletar volume suficiente de amostra nos frascos adequados conforme Tabelas 01 e 02;

Rotular o frasco com a identificação da amostra e preencher o Formulário de solicitação de análise com as informações de tipo de amostra, data, quantidade representada, tanque, lote, safra, etc;

Após a coleta, acondicionar a amostra em local apropriado como uma caixa, por exemplo, a fim de manter a amostra de pé e para evitar atrito entre uma amostra e outra durante o transporte e enviá-la ao laboratório. OBS.: A amostra não pode ficar exposta ao sol.